Dr. Carlos Alberto de Mattos Scaramuzza
CSRio/PUC-Rio

Carlos Alberto Scaramuzza é biólogo e Doutor em Ecologia pela USP com trinta e dois anos de experiência profissional em conservação e uso sustentável da biodiversidade e políticas públicas, desenvolvendo assessoria técnica, pesquisa científica e gerência de projetos. É proprietário e diretor executivo da Flexus Consultoria em Biodiversidade e Sustentabilidade.

O foco principal da sua carreira tem sido o estabelecimento de pontes entre a pesquisa técnico-científica e conservação da biodiversidade no campo, a implementação de políticas públicas e gestão de projetos e programas.

As principais áreas de atuação são: biologia da conservação, ecologia de vegetação e paisagem, biogeografia, dinâmica do uso das terras, aplicações de geoprocessamento, sensoriamento remoto e modelagem ambiental; ecologia de florestas tropicais, cerrado e campos; e desenvolvimento de políticas públicas e privadas.

Entre as principais posições, destacam-se o período como pesquisador na EMBRAPA e os nove anos no WWF-Brasil, onde ele implementou e coordenou o laboratório de Ecologia da Paisagem e depois liderou a Superintendência de Conservação dos Programas Regionais e Temáticos. Nesse último cargo, sua atuação ocorreu extensamente na interface entre políticas públicas com pesquisa e desenvolvimento em um contexto diverso incluindo negociações internacionais e com governos federal e estaduais, sendo responsável pela expansão de 2 programas de conservação com uma equipe de 14 pessoas para 6 com 39 pessoas.

De maio de 2103 a dezembro de 2017, foi parte da direção da Secretaria de Biodiversidade e Florestas, primeiro como diretor do Departamento de Conversação de Biodiversidade e de julho de 2015 em diante como responsável pelo novo Departamento de Conservação de Ecossistemas. Em ambas as posições o foco foi o desenvolvimento e implementação de políticas públicas para o uso sustentável e a conservação da biodiversidade. Esse escopo, inclui entre outros, os seguintes temas: gestão de espécies ameaçadas e invasoras, promoção de cadeias de produção sustentáveis para espécies da biodiversidade brasileira, restauração ecológica, planejamento sistemático da conservação, gestão da paisagem, monitoramento, economia dos ecossistemas e da biodiversidade, convenções e iniciativas internacionais (CBD, Ramsar, TEEB e IPBES).

Entre os resultados alcançados destacam-se: o desenvolvimento da primeira política nacional para recuperação de vegetação nativa (PLANAVEG); a coordenação do processo de atualização das áreas prioritárias para conservação da biodiversidade para as regiões biogeográficas Amazônia, Mata Atlântica e Pampa e os ambientes marinho e a zona costeira; a desenvolvimento em curso de uma Estratégia Nacional de Conservação para Áreas Úmidas e sítios Ramsar; e a proposição de 2 grandes sítios regionais Ramsar Amazônicos. Foi responsável pela gestão de 9 projetos de cooperação internacional de conservação da biodiversidade (GEF – Biodiversidade, Alimentação e Nutrição; Polinizadores; Cerrado; Probio II; Paisagens Sustentáveis da Amazônia e Áreas Privadas e relacionados a cooperação alemã BMUB / KFW  – TEEB Local e Regional e Mudanças Climáticas e Biodiversidade na Mata Atlântica – total dos últimos 5 = US $ 63 milhões.

Currículo Lattes

 

< Anterior Próximo >
Voltar para Corpo Docente